domingo, 24 de abril de 2016

Programação imperdível!


O mês de maio é um mês lotado de acontecimentos importantes: dia 01 de maio comemora-se o dia de São José Operário; dia 05, comemora-se o terceiro aniversário do Encontrando Alegria; dia 08, comemora-se o dia das mães; ao fim do mês, na provável data do dia 20, nascimento da Philomena, minha quarta filha; sem mencionar as seis ocasiões em que se celebram algumas das muitas aparições de Nossa Senhora (08, Estrela; 13, Fátima; 24, Auxiliadora; 26, Caravaggio; 31, Visitação; 31, Medianeira). Eu não poderia deixar passar em brancas nuvens um mês tão especial assim, não é mesmo? E, no entanto, três anos atrás, eu jamais imaginaria que tantas coisas teriam mudado e que haveria tanto para celebrar.

Assim sendo, planejei a seguinte programação (ou "currículo") para os próximos dias, pensando especialmente em vocês, pais e mães que nos seguem e apoiam o nosso trabalho:

Dicas:
  • Dia 01 de maio, dia de São José Operário, publicarei um texto no qual apresentarei a vocês um livro sensacional sobre coordenação motora para crianças de zero a cinco anos, em português. O livro não somente oferece sugestões de atividades adequadas a cada faixa etária como também explica as razões de cada uma delas, nos oferecendo, portanto, uma maior compreensão do funcionamento e desenvolvimento físico adequados aos nossos filhos nesta que é uma idade essencial para a sua formação;
  • Dia 05 de maio, dia do Encontrando Alegria, publicarei um texto sobre um outro livro excelente, um verdadeiro manual de pré-alfabetização e alfabetização segundo o método fônico, inclusive com cronograma de atividades correspondentes à pré-escola e à primeira série, além ampla bibliografia e lista de materiais de apoio para cada atividade recomendada;
  • Dia 10 de maio, publicarei mais uma dica de livro, só que dessa vez voltado aos pequenos, como sugestão de livro para leitura em voz alta. Trata-se de um clássico da literatura infanto-juvenil mundial para ser desfrutado por toda a família e pode, ainda, servir como uma espécie de introdução aos exercícios de formação literária, tamanha é a sua riqueza;
Sorteios:
  • Dia 08 de maio, em homenagem ao Dia das Mães, sortearei três exemplares do livro Homeschooling Católico - Um guia para pais, em formato e-book. Embora seja um livro voltado ao público católico, pode ser de grande proveito a todas as famílias cristãs.
Promoções imperdíveis:
  • Do dia 25 de abril (amanhã, segunda-feira) ao dia 10 de maio, todos os nossos cursos (com exceção do "Seja Homem") estarão com 50% de desconto! São eles:
  1. Homeschooling 1.0 (9 aulas): As bases históricas, metodológicas, pedagógicas, jurídicas, além de sugestões bibliográficas e de materiais, para quem quer praticar o homeschooling e não sabe por onde começar. De R$ 250 por R$ 125. Poderá ser adquirido no site do Instituto Isidoro de Sevilha;
  2. De volta ao lar (6 aulas): Como melhor compreender-se, agir, gerir a vida doméstica e resistir às pressões em uma época de tanta resistência e desprezo à vida no lar De R$ 300 por R$ 150. Poderá ser adquirido no site do Instituto Isidoro de Sevilha;
  3. Ensine seus filhos a gostar de ler (4 aulas): Como auxiliar as crianças no desenvolvimento e consolidação do gosto pela leitura com sugestões de atividades práticas, correção de possíveis erros da rotina, critérios para seleção de bons conteúdos e ainda uma lista com mais de 100 títulos seguros para diferentes faixas etárias. De R$ 240 por R$ 120. Poderá ser adquirido no fim deste post a partir de amanhã;
  4. Oficina de casamento (8 aulas): Porque pouca serventia tem uma dedicação extrema à educação das crianças quando o ambiente doméstico e a relação entre os pais encontra-se comprometida. Assuntos como as diferentes estações ao longo do casamento, o relacionamento com as famílias de origem, a resolução de conflitos, o perdão, sexualidade sadia além de outros fazem parte dos conteúdos. De R$ 240 por R$ 120. Poderá ser adquirido no fim deste post a partir de amanhã.
  5. Por último, se você quiser adquirir um pacote com todos os cursos, em lugar de pagar R$ 515, pagará R$ 470. O pacote poderá ser adquirido no fim deste post a partir de manhã.
E então, gostaram da nossa programação? Se sim, ajudem-nos a espalhá-la por aí, para que alcance e beneficie o máximo de famílias possível!



quarta-feira, 20 de abril de 2016

Heráldica, brasões e armas medievais

Contei, dias atrás, lá no facebook, sobre o inesperado interesse da Chloe pela heráldica -- a arte e ciência dos brasões. Na ocasião até publiquei a foto do brasão que ela fez após pesquisar a respeito, por conta própria, na Barsa (sim, ela mesma, aquela enciclopédia poeirenta que ficava na estante da casa da sua avó e que hoje em dia parece tão obsoleta, mas não é).


Instantes após a publicação do post, uma leitora lá do Espírito Santo entrou em contato comigo para contar-me a respeito do Museu Medieval de Gramado, o Castelo Saint George -- vejam vocês a ironia: uma turista conhece melhor a região do que um morador das redondezas. Na mesma hora fiz uma busca e descobri a página do Castelo. Mostrei ao Gustavo e os apaixonamos imediatamente, combinando de irmos até lá nos dias seguintes, e, claro, sem contarmos nada às crianças para fazermos aquela surpresa.

Poucos dias depois, junto com uma família amiga, fomos até o Castelo. Apesar de pequeno -- será ainda maior, pois continua sendo construído -- há muita coisa para ver. As paredes são cobertas de chifres e cabeças de animais empalhados, brasões tradicionais feitos pelo próprio criador do Museu e imagens medievais pintadas em couro. Além disso, encontram-se expostas réplicas de armas famosas -- há um expositor destinado ao filme Coração Valente (que nada tem a ver com a Dilma, graças a Deus) e outro destinado ao O Senhor dos Anéis. Prosseguindo, há elmos, luvas e armaduras medievais completas, tanto réplicas quanto originais -- realmente assombrosas! -- e muitas, muitas espadas, facas, mosquetes, canivetes, das mais variadas épocas e lugares do mundo. Por fim, o proprietário ainda oferece uma pesquisa gratuita ao sobrenome da família. Descobrimos que há oito variações do Abadie e que todas elas passaram pela França em algum momento, de modo que seria preciso saber de qual região veio a nossa variação para então descobrirmos o brasão oficial. Já sobre o Hochmüller, trata-se de um sobrenome resultante do casamento entre duas famílias germânicas, o Müller, porém, é mais ou menos como o Silva brasileiro, de modo que também precisaríamos rastrear a origem geográfica da família para podermos precisar-lhe o brasão.

Além do Museu propriamente dito, há ainda uma loja com souvenirs e fantasias para alugar. Não preciso falar nas idéias que tive para o Dia de Todos os Santos, né?  :)

Ah, esqueci de mencionar: recentemente encerramos nossos estudos sobre a Idade Média e iniciaremos as pesquisas sobre a Idade Moderna. Acredito que esse tipo de passeio, assim como aquele que relatei sobre A Mina, ajudam a enraizar o conteúdo no coração e na memória das crianças de modo único,  sendo assim, repito mais uma vez o incentivo que já fiz em outras ocasiões: explorem ao máximo os recursos da região em que vocês vivem, para que as histórias ganhem concretude e tornem-se conteúdos inesquecíveis para as crianças.

Deixo abaixo algumas fotos que fiz ao longo do passeio.

Castelo Saint George 


Além de lutar, já imaginaram colocar sobre a cabeça um elmo assim, pesadíssimo?
Uma grávida fotografando as réplicas de cachimbos de "O Senhor dos Anéis".
A pequena e leve espada de William Wallace, o herói escocês retratado em "Coração Valente".
Chloe ao lado de uma armadura leve, de apenas 40kg.
Lembrei-me do tio Rafael Falcón e seu "bode power". :D
Benjamin empolgado explicando o funcionamento de uma balestra ao tio Francis.
Em memória de Jiraya. ;)
Lindas.

quarta-feira, 13 de abril de 2016

Flexibilidade, Júlio Verne e pedras


Em outras ocasiões, já falei sobre a flexibilidade inerente ao homeschooling, mas hoje quero relatar um dia bem especial que tivemos graças a isso, à compreensão de que somos uma família, não uma escola, e que podemos, quando necessário, mudar a rota e, ainda assim, aprendermos coisas incríveis.

Alguns de vocês já devem estar sabendo que estou no último trimestre de gestação. Por conta disso, algumas de minhas madrugadas são bem desconfortáveis e inquietas, de modo que, numa noite recente, perdi o sono e acabei não tendo condições de auxiliar o Gustavo em nossa tradicional rotina matinal. Como lhe é típico, graças a Deus, ele não se aborreceu nem forçou a barra, mas aproveitou para responder algumas dúvidas da Chloe e ensinar alguns conceitos matemáticos ao Benjamin, tudo numa clima de conversa, sem a formalidade da "hora da aula".

À tarde, porém, propus a ele uma forma de alternativa de estudos: sugeri que fôssemos até A Mina, um pequeno museu que é uma réplica de mina, na cidade de Gramado, onde há uma infinidade de pedras preciosas e semipreciosas à exposição. Gustavo topou e fomos até lá sem dizer uma palavra a respeito para as crianças (sim, eu sou daquele tipo de mãe que a-do-ra fazer surpresas!). Vocês não têm ideia da felicidade da Chloe ao entender onde estávamos. Ela quase não conseguia conter-se para não ficar pulando o tempo todo! E eu até agora me pergunto como é que ela conseguiu reter tantas informações se estava tão inquieta, quase que vendo tudo ao mesmo tempo?

E o que esse passeio tem a ver com os nossos estudos? O interesse da Chloe por pedras surgiu depois da leitura de "Viagem ao centro da terra", de Júlio Verne. Ela achou o livro, de um modo geral, terrivelmente chato, mas isso só até o dia em que o Gustavo sentou-se com ela para explicar as camadas que formam o nosso planeta, além de fenômenos como vulcões, terremotos, maremotos, etc. A partir de tal conversa o livro passou a ser visto com outros olhos, e as pedras, que já exerciam o seu encanto, ganharam ainda mais destaque para ela. Assim, visitar A Mina foi a cereja do bolo, coroando todos aqueles conceitos com a concretude e o peso das pedras, o que acabou realimentando o interesse original e virando fonte de mais pesquisa.

Deixo abaixo alguns registros do passeio e o incentivo a que vocês aproveitem ao máximo os recursos que a região de vocês proporciona para que as informações assimiladas pelas crianças ganhem um corpo real e transformem-se em boas experiências e lembranças para a toda a vida.




Parte da entrada d'A Mina.

Parte do interior.

Ametista gigante e homens gigantes.

Citrino e Bibi.

Exposição de pedras de todos os continentes.

Esmeralda em estado bruto. 
Parte de um tronco fossilizado.

Chloe e a ametista. 
Pedras que brilham no escuro. Olha a criptonita!

Um dos produtos à venda na loja do museu: um lindo globo de pedra. Aceito de presente. :D

Parte dos arredores d'A Mina.

Lindo laguinho, pena que os patos estavam láááá do outro lado.

Nós três e o dedo da Chloe. :)