quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

O cuidado da casa

Embora eu já tenha elaborado um curso a respeito, já tenha escrito algumas coisas a respeito, ainda assim, continuo recebendo diariamente perguntas relacionadas ao cuidado com a casa + educação das crianças. Assim, aproveitando que acabei de responder a um email tratando deste e de outros assuntos, publico aqui um trecho do que disse àquela mãe que me escreveu:
Quanto à organização da casa, lembre-se: as pessoas são prioridade. As tarefas e as coisas vêm depois. Ou seja, seu marido, suas crianças e você são mais importantes que o resto. Nunca inverta essa ordem, pois ter uma casa brilhando não é melhor do que ter uma família emocionalmente bem nutrida! E a opinião das pessoas vale beeem menos que o amor do seu marido e das suas crianças, que são quem realmente importa!
Com o que disse acima, pode parecer que, agora, a casa fica a Deus dará, que cuidar das tarefas domésticas tem pouca importância, que o microcosmo do lar pode ser tratado com displicência, mas não se trata disso. Cuidar da casa é importante sim. O problema é que a maioria de nós tende a focar na casa às custas das pessoas da casa. É ou não é? Enquanto as crianças querem atenção, você está lá, limpando aquele espacinho entre a pia e o fogão. Enquanto seu marido precisa falar com você sobre algo que é importante para ele, você está ocupada tirando aquela terrível coisa preta que acumula na parte do sabão em pó da máquina de lavar. Ao final do dia, você está exausta, muitas vezes mau humorada, querendo apenas silêncio e cama. Soa familiar, não é verdade? Mas, gente, não dá para ser assim. Ao menos eu não consegui viver assim por muito tempo, embora tenha tentado com grande esforço. Também não se trata agora de parar tudo o que se está fazendo ao menor sinal de interesse por parte das crianças ou do cônjuge. Não. É preciso discernir quando a sua presença é necessária e benéfica de quando você pode ser deixada de lado, prosseguindo nas suas tarefas, enquanto os demais seguem nas suas. Mas para conseguir discernir esses momentos é preciso estar aberta aos outros, estar aberta aos imprevistos, estar aberta ao não ter o controle sobre todas as coisas e, sobretudo, estar aberta a não querer fazer do seu lar uma empresa, onde tudo é cronometrado e com metas a serem atingidas.

Viva (um dia de cada vez). Ame (as pessoas). Desfrute (das coisas). Sirva (a Deus servindo ao seus próximos mais próximos, isto é, a sua família).

Espero que você consiga, assim como eu tenho repetidamente tentado conseguir, fazer tudo aquilo que realmente importa sem sacrificar nada além do seu orgulho, da sua vaidade e do seu egoísmo, dia após dia, cada vez mais.

4 comentários:

  1. Camila, parabéns! O seu post é excelente, preciso e muito inspirador.

    ResponderExcluir
  2. Camila, muito bom os seus posts, como sempre. Mande meus parabéns pelo aniversário do Gustavo pra ele. Vocês estão sempre em minhas orações.

    Um fraterno abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querido Arthur, apesar de minha demora em responder, seus parabéns chegaram ao Gustavo no dia certo. ;) Muito obrigada pelo carinho e pelas orações.
      Fazes falta no facebook.
      Grande abraço!

      Excluir
  3. Excelente texto! Relamente a luta é diaria... Pra mim o último parágrafo resume tudo, a batalha principal é contra nós mesmas contra nosso orgulho e vaidade! Que maravilha é em Cristo encontrarmos poder pra vencer e reorganizar nossas prioridades! Obrigada por nos aletar sobre isso! Abraço!

    ResponderExcluir