Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2014

O que o homeschooling fez por sua família? (2)

Depoimento da minha amiga Catiane De Gasperi Longhi. Eu juro que não pedi a ela que nos elogiasse! Ela escreveu o que quis!

Obrigada pelo carinho, querida!
A primeira vez em que ouvi falar sobre homeschooling, pensei ser uma realidade possível em países como nos EUA e não aqui. Achava uma loucura, pois me perguntava como iria acontecer e como me "realizaria profissionalmente" se optasse por isso? Ou mais, com quem minhas crianças iriam se relacionar? Um borbulhar de questionamentos brotavam em mim, e não sabia a quem recorrer! Por providência, numa partilha com uma amiga, ela indicou um blog em que ela tinha achado coisas muito interessantes sobre educação das crianças: o "Encontrando Alegria".
Era a época em que havia um programa na Rádio Vox uma vez por semana. Nossa! Bebi muito desse programa, tirei dúvidas, mudei meus pensamentos, minha vida e minha família para melhor! Aos poucos as coisas foram acontecendo e hoje sou muito feliz por ter feito a escolha de perman…

Cinco passos para alfabetizar em casa!

Dias atrás, circulou por aí uma matéria que mostrava algo que muitos de nós já sabíamos: os métodos de alfabetização utilizados no Brasil NÃO ALFABETIZAM, daí as eternas péssimas posições do nosso país nos rankings internacionais. No entanto, uma outra coisa que muitos de nós ainda não sabemos é que existe um método de alfabetização que ALFABETIZA DE FATO. E é isto o que o prof. Carlos Nadalim começa a ensinar nessa série de vídeos que hoje teve início. Faça como eu e algumas centenas de brasileiros já fizeram: assista, teste e comprove! CLIQUE AQUI.

Sobre (não sob) o aval do governo

Está marcada para o dia 03 de dezembro a votação do projeto que propõe a regulamentação da educação domiciliar aqui no Brasil.

Entre as muitas comemorações que vi no facebook, parei para pensar a respeito por um instante. O resultado está aqui: Pessoal, nunca se esqueçam: nenhuma regulamentação ou autorização governamental está acima das nossas consciências e do nosso dever para com Deus. Quem pratica o homeschool deve fazê-lo por convicção de que é o melhor para os seus filhos, e não porque o governo diz que pode. Quem deixa de praticá-lo deve fazê-lo por não estar convicto de que é o melhor ou por estar convicto de que não é o melhor, e não porque o governo não deixa. Some-se a isso o fato de termos um governo composto, em sua esmagadora maioria, por bandidos, literalmente. Ou seja, DE FORMA ALGUMA nossas consciências e a responsabilidade sobre a vida dos nossos filhos deve estar submetida ao aval de gente desse tipo.Sem falar no fato de que a própria regulamentação pode vir…

O que o homeschooling fez por sua família?

Dias atrás, inspirada por uma página norte-americana, o Simple Homeschool, decidi reunir testemunhos e dar espaço para que diversas famílias contassem um pouco sobre como o homeschooling mudou suas vidas, sobre como as coisas melhoraram a partir do momento em que tomaram as rédeas da educação de suas crianças.

O propósito dessa iniciativa? Fortalecer quem já pratica e encorajar quem ainda não pratica, mas deseja praticar o ensino em casa!

Assim, aqui vai o primeiro depoimento, de autoria da minha amiga Géssica Hellmann, da página no facebook "Valorizando o conhecimento com educação domiciliar".
Logo no início de 2013, estávamos angustiados com a escola que nosso filho mais velho frequentava, tanto pela péssima qualidade de ensino quanto pela distorção dos valores morais em atitudes “politicamente corretas”.
Enquanto tentávamos encontrar uma solução para esse problema, chegou a nossas mãos um artigo muito inspirador da Camila Abadie sobre a prática do Hom…

Queremos as aranhas. Precisamos dos sapos.

Ouço meu marido falar sobre o desejo de ir embora para o interior desde que o conheci. A propósito, este é um desejo que ele manifesta até nas roupas que veste (sempre que possível): bombachas e alpargatas. No entanto, eu, nascida e criada no interior, cultivo, desde que me conheço por gente, um certo "bovarismo", afinal, "sofrer em Paris é muito melhor".

Entretanto, quando os filhos chegam à nossa vida e, especialmente, aos nossos corações, muita coisa costuma mudar, e esta foi mais uma delas. De uns tempos para cá, conforme o "bovarismo" arrefecia e a desilusão com "Paris" e suas tantas "opções culturais" aumentava, meu desejo de retorno às origens tornou-se crescente. Expressão disso (talvez alguns de vocês o tenham visto), foram algumas de nossas mais recentes aquisições literárias: Como fazer quase tudo e Guia prático da auto-suficiência.


Recentemente, porém, mais uma gota caiu sobre o cálice da capital dos gaúchos: minha filha, dia…

Curitiba é demais!

Neste último final de semana estivemos em Curitiba. Embora eu já tivesse passado pela cidade algumas vezes, de ônibus, jamais havia ficado por lá. A impressão que tive confirmou o que eu percebia de modo tão breve em minhas andanças através da capital do Paraná: a cidade é linda, linda, linda! Não que eu conheça muita coisa, pois não conheço mesmo, mas a beleza, a ordem e a tranquilidade de Curitiba lembram apenas vagamente algumas poucas cidades do interior do Rio Grande do Sul, especialmente aquelas que foram colonizadas por imigrantes italianos ou alemães.
No domingo à tarde, como não poderia deixar de ser, fizemos um belo passeio por um dos muitos parques da cidade. Além de limpo, bem cuidado e livre de satanistas, maconheiros e pelados (tipos cada vez mais comuns nos parques aqui de Porto Alegre), o parque que visitamos (o Parque do Bosque Alemão) tem uma incrível trilha que pretende imitar o caminho percorrido por João e Maria (sim, os personagens do conto clássico!): ao longo do…