quinta-feira, 3 de julho de 2014

Sites conservadores e cristãos são bloqueados em escola nos EUA

Tradução de Marco Carrero

Escola bloqueia sites Conservadores e Cristãos; Libera sites de cunho esquerdista, além de possibilitar o acesso a sites de conteúdo Islâmico.

19 de Junho 2014, por Jennifer Burke

Na medida em que a esquerda assumiu o sistema escolar, eles têm frequentemente sido acusados de usarem esse local como um meio de doutrinação para as mentes mais vulneráveis, as dos nossos filhos. Com inúmeras histórias de aulas cujo núcleo comum é o ensino anticapitalista, anticonservador e ideias anti-americanas, a preocupação com a doutrinação cresceu. 

Temos uma nova história em Connecticut que oferece uma prova de quão longe o esquerdismo dominou o sistema escolar, empurrando sua ideologia unilateral para a nossa juventude, em uma tentativa de controlar seu pensamento. 

A filial da Fox News, em Connecticut, preparou uma reportagem sobre os resultados das pesquisas feito por Andrew Lampart, que frequenta a Escola Secundária de Nonnewaug, no Distrito Escolar de Woodbury. Como ele estava preparando uma pesquisa a fim de participar de um debate, Lampart descobriu que não podia acessar o site da Associação Nacional de Rifle. No entanto, ele pôde acessar sites que são contra a Segunda Emenda, como o www.momsdemandaction.org e www.newtownaction.org. 

Ao investigar mais a fundo, Lampart notou um padrão. 

O site do Partido Republicano foi bloqueado, mas o site do Partido Democrata não estava. 

Sites como National Right-to-Life (www.nrlc.org) foram bloqueados, mas o Planned Parenthood (www.plannedparenthood.org) e Pro-Choice America (www.prochoiceamerica.org) não estavam. 

O distrito escolar ainda teve sites afiliados religiosos como Christianity.com e o site oficial do Vaticano bloqueados, mas os estudantes podiam acessar Islam-guide.com livremente. 

Lampart, que tem 18 anos de idade, disse: "Eles estão tentando, na minha opinião, esconder de nós o que está realmente acontecendo em todo o país e ao redor do mundo, bloqueando esses sites. E deveria ser o contrário. Os sites devem ser desbloqueados para que os estudantes possam obter diferentes pontos de vista dos diferentes lados de cada argumento."

Ele levou suas conclusões ao superintendente regional, mas suas preocupações caíram em ouvidos surdos. Após a ausência de resposta do Superintendente, Lampart decidiu ir ao Conselho de Escolar. O Presidente do Conselho afirmou que a diretoria da escola irá investigar as descobertas de Lampart e diz que apreciou que Lampart tenha levantado essa importante questão. 

ASSISTA, no vídeo, a reportagem sobre a investigação de Lampart e a resposta do distrito.

Para ler a matéria original, clique aqui.


0 comentários:

Postar um comentário