quinta-feira, 22 de maio de 2014

Uma nota sobre a "Lei da palmada"

Nossos dias são maus, perversos, degradantes. Pode-se manter relações sexuais com uma criança de 14 anos, pois isso já não é crime de pedofilia.  Pode-se abortar um bebê sob determinadas circunstâncias, pois isso já não é crime de assassinato. Mas já não se pode dar uma boa palmada no bumbum do próprio filho. O óbvio fica cada vez mais evidente: a família é o alvo prioritário de destruição dos revolucionários. Destruindo as famílias, núcleo e coração da sociedade, todo o restante cai por terra facilmente. Nós, cristãos, os que cremos no que diz a Sagrada Escritura inclusive no tocante à correção física dos nossos filhos, estamos um pouco mais vulneráveis, um pouco mais expostos, um pouco mais manietados. Aqueles que quiserem se manter fiéis e de acordo com o que crêem serão desafiados a ir contra a lei, contra o Estado e pagar o preço por cuidar como se deve dos próprios filhos. O risco não é pequeno, mas, sobretudo, devemos ter bem claro o seguinte: nossos adversários não jogam limpo. Isto é, nosso "bom comportamento" não garantirá a ausência de conflitos, de denúncias e de fraudes por parte daqueles que querem destruir as famílias, especialmente as famílias cristãs. Se quiserem investir contra nós, o farão de qualquer maneira. Assim, não tenhamos medo! O convite à fé e à vida cristã sempre foi um convite ao sacrifício, um convite ao desconforto, um convite à inconformidade. Ser luz é brilhar na escuridão, contrariando-a. Ser sal é dar sabor e conservar o que é insípido e sujeito à putrefação. O caminho que conduz à vida é estreito, enquanto o que conduz à morte é largo e fácil de ser percorrido. Lembremo-nos, portanto, das promessas de Cristo aos que O amarem e se manterem fiéis à Sagrada Escritura. Lembremo-nos dos nossos santos irmãos que tiveram a honra de, apesar de toda a adversidade, muitas vezes entregando-se à própria morte, serem encontrados fiéis, dignos de pertencer à família de Nosso Senhor. Permaneçamos firmes!

2 comentários:

  1. O aborto já está praticamente liberado e sem restrições no Brasil.
    E cuidado com a nova lei da palmada. Perder a guarda dos filhos será muito fácil.

    ResponderExcluir