Pular para o conteúdo principal

Notas rápidas

Comunidade de pedófilos

Aos que não acompanham o perfil do blog no facebook, ontem à noite fiz um pedido aos membros da comunidade (e também aos meus amigos no perfil pessoal) para que me ajudassem a denunciar e derrubar uma página de apologia à pedofilia (que então recebia o nome politicamente correto de Pedossexuais unidos). Meu amigo Jarbas Aragão, lá do Gospel Prime, rapidamente lançou a denúncia no site. Hoje, ao final da manhã, a página já estava fora do ar. Além disso, muitas outras pessoas além de mim também fizeram denúncia à Polícia Federal. Agora é aguardar para que não apenas a página fique fora do ar, mas o responsável por ela vá para a cadeia. No entanto, meus leitores, uma coisa deixou-me ainda mais preocupada: enquanto ontem à noite a maldita página tinha cerca de 90 "curtidores", hoje pela manhã já chegavam a 170! Quase o dobro! Ou seja, a doença psíquica e espiritual alastra-se rapidíssimamente em dias como os nossos, sob o incentivo da mídia, dos governos "progressistas" (leia-se esquerdistas) e, em grande medida, de uma igreja cristã que se omitiu de pregar a verdade amarga, que dói, mas que liberta. Por conta disso, deixo aqui o comentário que foi ao ar no Gospel Prime, como desabafo e desafio a vocês:
"Quando os cristãos deixam de ser o sal e a luz do mundo, denunciando as falácias e armadilhas do tempo em que vivem, não somente perdem a sua função como também condenam o mundo ao apodrecimento e às trevas. Coisas como essa tal de “pedossexualidade” (nome politicamente correto para pedofilia) são fruto disso, de uma época que aceitou a relativização moral e até a relativização lógica. Cheira a enxofre e a tudo que há de mais perverso. Se não formos capazes de lutar pelas nossas crianças, então, realmente, que se cumpra em nós as palavras de Jesus, “que sejamos lançados fora e pisados pelos homens."
Ainda na onda da "ousadia"

Agora há pouco, ainda no facebook, soube do ataque à Catedral de Santiago, no Chile. O ataque foi promovido por um bando pró-abortista que, literalmente, "botou pra quebrar", derrubando confessionários, quebrando imagens de santos, pixando palavrões e baixarias em diferentes lugares, pendurando cartazes... Enfim, um show de civilidade e de liberdade de expressão. Aos que não se importam, por tratar-se de uma igreja católica, fica o aviso: amanhã pode ser a SUA igreja ou o SEU centro espírita. O valor absoluto da vida humana, tal como é defendido por católicos, protestantes e espíritas, é motivo suficiente para que deixemos as diferenças de lado e nos unamos contra todos os movimentos e ideologias assassinas, pois elas, juntas, nos atacam por diferentes lados e com diferentes estratégias. Também deixo aqui o meu comentário sobre o ocorrido:
É o seguinte: quem acha que aborto é bacana, direito da mulher e o diabo, que faça a sua escolha e lide com as consequências, temporais e eternas. Nenhum padre, pastor ou cristão qualquer vai amarrar a mulher e obrigá-la a gestar a criança por nove meses. Agora, invadir, depredar e profanar a igreja dos outros sob a alegação de "liberdade de expressão" ou o que for, é de uma sacanagem, de um desrespeito, de uma falta de vergonha na cara digno dos cachorros vadios que atacam em bandos. E não me venham com o papinho de "misericórdia". A misericórdia a ser praticada com gente insana desse tipo é a do sopapo na orelha, pé no traseiro e cana! Gente fora da realidade tem que levar um choque de realidade para ainda ter alguma chance de sanidade futura. O resto é conversinha de irenista.
O post da semana

Para quem ainda não viu, fica o lembrete: o post mais importante da semana (e talvez de todos os 3 meses de vida deste blog) é aquele sobre o documentário AGENDA. Se você ainda não o assistiu, tire um tempinho (uma hora e meia) no final de semana e confira. Muitas, realmente muitas peças do quebra-cabeça contemporâneo se encaixam ali, inclusive aquelas que se referem à educação e à religião. Enfim, um vídeo essencial para quem quer entender o que está acontecendo.

Melhorias no blog

Nos próximos dias pretendo realizar algumas modificações aqui no blog. A primeira delas será uma nova barra de marcadores das postagens. Palavras mais específicas, como "inglês", "matemática", "denúncia", tornarão as buscas de vocês mais rápidas e os conteúdos aqui publicados mais claros, mais definidos. Outra melhoria é a inclusão dos links que já publiquei naquelas postagens dominicais (Links edificantes) na barra lateral, junto com os links de blogs e sites que acompanho. Isso, penso eu, agilizará muito a pesquisa de novos leitores interessados em outros conteúdos de homeschooling. Por último, pretendo incluir ainda algumas janelas de anúncios do Google Adsense para obter algum lucro com o tráfego que tenho tido por aqui. Talvez a maioria de vocês não saiba, mas abri mão, voluntariamente, de uma carreira para educar de verdade os meus filhos. E embora o trabalho com eles dependa apenas do meu próprio esforço e de meu marido, sei, pois muitos de vocês me disseram, que aquilo que tenho publicado por aqui os tem ajudado e motivado. Assim, àqueles que realmente se sentem beneficiados pelo meu esforço, quero deixar aqui o caminho aberto, seja através do Adsense ou do botão do PayPal que já existe na barra lateral, para a doação de qualquer valor que vocês acharem por bem enviar, pois redundará, no final das contas, em benefícios a todos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A repetição da maior e melhor novidade

Quando eu era garota e atéia, detestava essa época do ano. Na verdade, o sentido do Natal me escapava por completo, tudo parecia uma grande desculpa do comércio - para ganhar dinheiro - e das famílias - para alimentar hipocrisias -, repetindo anualmente os seus rituais de auto-legitimação. Sim, eu já pensei e fui assim. E todo ano, por vários anos, detestava a repetição do Natal.
De certa forma, é verdade que o Natal é uma repetição. E bem pode ser verdade que muita gente só pense em lucrar ou em suportar diplomaticamente o convívio com parentes inconvenientes - quantas Camilas há por aí! Contudo, o sentido da repetição exprime-se em outros termos: "até que Ele venha". É por isso - hoje eu sei - que tudo se repete: para que jamais O esqueçamos, porque Ele virá mais uma vez, conforme prometido. Assim, enquanto Ele não vem, prosseguimos repetindo, ano após ano, guiados pelo Calendário litúrgico, cada um dos passos de sua vida, desde a sua concepção e nascimento até sua morte …

A importância das boas músicas

Tem se tornado cada vez mais difícil passar por aqui e compartilhar coisas que acho que são úteis ou importantes para as famílias homeschoolers. São muitos os projetos nos quais estamos envolvidos, e há ainda novas coisas surgindo, por isso, pela necessidade de priorizar, o blog, que foi o começo de tudo, acaba ficando para trás. Ainda assim, porém, quero compartilhar com vocês algumas coisas bonitas que temos usado e feito por aqui.

Eu e Gustavo, na vida adulta, nunca fomos apreciadores de músicas populares. Sempre que colocamos alguma música, ou é clássica, ou é sacra. Raras vezes Gustavo varia um pouco o repertório acrescentando alguma música regional gaúcha ao menu. Por isso, desde sempre, nossos filhos foram acostumados com boas músicas, ainda que não saibam os nomes dos compositores/autores e das músicas, pois fazemos tudo de maneira muito tranquila e informal.
Assim, vindo a complementar um pouco mais esse hábito, recebemos de uma amiga a indicação de um excelente livro que agora…

Abertura à vida: plena confiança em Deus

Não é novidade que eu e meu marido temos quatro filhos. Mas talvez seja novidade para quem nos acompanha há pouco tempo que somos abertos à vida, isto é, que não fazemos nenhum planejamento familiar, não adotamos controle algum de natalidade, nem artificial, nem natural. Em outras palavras, não, a fábrica não fechou, para horror dos parentes, amigos, inimigos, médicos e ativistas por um mundo melhor - todos aqueles que, graças a Deus, não pagam nossas contas.

E por falar em contas, ao contrário do que se possa pensar, nossa decisão não tem absolutamente nada a ver com questões financeiras. Não, nós não somos ricos - e não somos mesmo, diferentemente daqueles que dizem isso para posar de modestos e são hipócritas, pois têm todas as garantias possíveis para viver uma vida tranquila. "Mas minha nossa, que irresponsabilidade!", muitos de vocês devem estar pensando, e, bem, este é um modo de ver as coisas, mas não o nosso.

Nós somos cristãos e acreditamos que toda a vida é fruto …