quinta-feira, 16 de maio de 2013

Português

O ensino e o aprendizado do português é um caminho longo, repleto de sons, formas, regras, repetições, exercícios... Eu e Chloe já percorremos um booom trecho do percurso, considerando-se a idade e a série em que ela está, mas hoje quero mostrar a vocês a atividade mais recente.

Conforme havia citado neste outro post, descobrimos os poemas infantis do Bilac recentemente, mas, desde então, venho intercalando exercícios de sílabas tônicas, separação silábica e acentuação com exercícios a partir dos poemas. Assim, a atividade de hoje foi elaborada desde o poema "As Flores".

Para aprimorar e fixar a questão da acentuação, intimamente relacionada à habilidade de ouvir os sons das sílabas e discernir sua força, comecei propondo a acentuação das palavras sublinhadas. Depois, partimos para uma leitura mais atenta, onde as palavras desconhecidas deveriam ser circuladas. Então, com a minha ajuda, passamos à pesquisa no dicionário, para ampliação da compreensão, do vocabulário e do desenvolvimento da familiaridade com a pesquisa "mão na massa": abrindo o livro e indo atrás. =) Chloe anotou, com as suas palavras, o que entendeu da explicação do dicionário e da minha. Relemos o poema, para ver se conseguimos entendê-lo melhor. Finalmente procuramos as rimas e a sua sequência dos versos, para percebermos mais da estrutura e do ritmo do poema (como ele deve ser lido ou declamado). Por último: o desenho das flores favoritas e seus respectivos nomes. Também pesquisamos, na internet, imagens de flores que nascem no pântano, como o lótus, pois Bilac cita tais flores no poema e Chloe não achava que isso era possível, afinal "flores não nascem num lugar fedido". =D

Vejam as fotos:




Além das novas coisas aprendidas e do tempo que passamos juntas só nós duas (o Benjamin estava fazendo o soninho da tarde) o melhor da atividade de hoje foi a seguinte declaração da Chloe, dita ao pesquisar no dicionário: Mamãe, eu poderia passar o dia inteiro fazendo isso.

Sabe, em momentos assim é que eu me convenço que os recursos, mesmo importantes, não são essenciais. Essencial é mostrar para criança que aquilo que ela está aprendendo faz sentido; amplia, de algum modo, os seus horizontes; está conectado ao seu mundo.

Mais um dia de atividade vencida, de coração leve, de filha satisfeita com o que foi aprendido. \o/

Um comentário:

  1. Adorei essa atividade, muito rica mesmo. Obrigada por compartilhar.

    ResponderExcluir