terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Dicas de planejamento de homeschooling

Muitas famílias homeschoolers já retornaram às atividades de estudos, mas há muitas que, assim como nós, por diferentes razões, espicharam um pouco mais as férias. Assim, apesar da época já um tanto adiantada, resolvi compilar aqui algumas dicas para quem quer fazer um bom planejamento de estudos para este ano mas tem encontrado alguma dificuldade ou simplesmente não tem experiência no assunto.

Antes, no entanto, de passar às dicas propriamente ditas, convém esclarecer que não abordarei aqui a questão dos materiais (qual é o melhor, qual é o pior, onde comprar, se existe para download, etc.). Nas dicas, meu foco será a família, as pessoas envolvidas no homeschool. Por desimportante que possa parecer, se a família não está funcionando bem, há grandes chances de o seu homeschool fracassar.

Todavia, quem precisar de ajuda na seleção/avaliação dos materiais, ou precisar de algum auxílio mais pontual, sugiro duas possibilidades: ou o nosso curso Homeschooling 1.0, onde oferecemos todo o passo a passo a quem quer começar, ou uma bate-papo pessoal, com hora marcada (e por um precinho camarada) por meio do email encontrandoalegria@gmail.com.

Mas vamos ao que interessa:

1. Em primeiríssimo lugar, respire fundo e pegue leve: consigo mesma, depois, com as crianças. Assim como esta é um novidade para elas, o é também para você. Ou seja, estão todos aprendendo, e ter paciência e sensibilidade é fundamental para um começo tranquilo.

2. Foque em ter bons recursos: sem eles, a mais excepcional das aulas vale muito pouco. Por outro lado, até mesmo sem uma "aula" propriamente dita, bons recursos podem ensinar muito àqueles que queiram aprender com eles.

3. Considere as variáveis familiares: você acabou de ganhar bebê?; está no oitavo mês de gestação?; trabalha meio turno?; quem vai ministrar as aulas é a avó?; tem 3 filhos com mais de 5 anos de diferença entre eles? Todas essas questões (e muitas outras!) definem as especificidades de cada família e precisam ser levadas em conta na hora da estruturação das aulas e do estabelecimento da rotina de estudos. Em outras palavras, a sua família é a sua família, diferente daquelas outras famílias homeschoolers que você conhece.

4. Considere as variáveis individuais: seu filho é pequeno?; agitado?; sua filha sofreu bullying por anos na escola?; o outro morre de preguiça?; ela tem medo de errar?; a outra só quer competir? Embora os assuntos possam ser idênticos, os indivíduos não o são e é preciso que você leve em conta as peculiaridades da personalidade de cada um para perceber como cada um aprende e poder ajudá-lo a ajudar-se.

5. Esqueça a escola: datas, relatórios, provas, trabalhos, horários... Es-que-ça. Não transforme sua sala de estar em uma nova sala de aula porque neste caso restarão poucos locais para onde os seus filhos possam fugir em busca de refúgio. Alguns controles são úteis, mas não precisam ser feitos mantendo aquele estilo burocrático e impessoal do colégio.
6. Esteja aberta: observe como as coisas evoluem. Muitas vezes fixamos metas, e é importante tê-las, mas muitas vezes é preciso corrigir a rota. E não há problema algum nisso, afinal, seu objetivo é que os seus filhos cresçam e aprendam, no ritmo que for, pelo tempo que levar, do jeito certo, a coisa certa.

7. Avalie com serenidade: não se afobe, não se assute. Deixe transcorrer algum tempo até que possa avaliar com mais tranquilidade o caminho percorrido. Se você se apressar e ficar mudando tudo a cada passo, pouco avançará. Assim como se você não parar para avaliar o percurso de tempos em tempos, talvez acabe chegando ao lugar errado.

8. Ajuste: é com a prática que percebemos o que funciona e o que não funciona, e não há como praticar sem colocar a mão na massa. Assim, depois de avaliar, não tenha medo de rever alguns pontos, ou mesmo todos eles. Caso haja dúvidas, volte ao ponto 1 ou entre em contato conosco. ;)

sábado, 21 de janeiro de 2017

Filhos pequenos e vida espiritual

Mais uma vez aproveito posts do facebook para dar uma agitada por aqui.

Compartilho aqui algumas sugestões que fiz a uma mãe de dois bebês que me pediu ajuda, pois podem ser úteis a mais alguém. As crianças da mãe em questão têm pouca diferença de idade e o mais velho tem exigido muita atenção.
"1. Em primeiríssimo lugar, priorize as crianças: a casa não é o mais importante no momento, ela poderá ser limpa em outras ocasiões, já as crianças precisam que você agora, neste instante;
2. Quando o mais novo estiver dormindo, dê atenção ao mais velho: dê colo, beije-o, converse, brinque;
3. Quando for oportuno, talvez depois do almoço, durmam os três: você e os bebês. Sem descanso, seu leite pode diminuir e você pode acabar ficando debilitada física e emocionalmente, o que só pioraria tudo.
4. Não se importe com a opinião dos outros. Quem se preocupa de verdade tenta ajudar em lugar de ficar criticando.
5. Às vezes o mais velho precisará ficar chorando um pouquinho. Não se sinta mal. Você é uma única pessoa e simplesmente não tem como fazer tudo ao mesmo tempo com dois bebês no colo. Mas lembre-se de priorizar as crianças.
6. Tente deixar algumas refeições prontas no final de semana para não precisar cozinhar todos os dias. Você precisa se alimentar bem para ter leite e cuidar dos dois.
7. Lembre-se: por mais difícil que seja, esse tempo passa depressa e é muito importante para a sua santificação, por isso tente não se desesperar, não murmurar, nem sentir pena de si mesma. Deus sabe o que você é capaz de suportar e está no controle de tudo."
Abordar a questão de levar as crianças à Igreja é sempre uma tarefa delicada. Há quem se ofenda porque crianças fazem barulho demais. Há quem se ofenda com quem se ofende por causa disso. Mas sobre todas as justificativas, melindres e não-me-toques, uma coisa é certa: Deus não nos dá filhos para que nos afastemos Dele, para acabar com nossa vida espiritual. Pelo contrário! Agora, ainda mais do que antes, somos chamadas a ser exemplo e a viver em atos aquilo que louvamos. Assim, filho pequeno não é nem pode ser um impedimento à comunhão. Filho barulhento e sem respeito também não. Ensine-o a se aquietar, a ser reverente, a observar em silêncio. "Ah, mas é tão fácil falar!" Se a questão é facilidade, a melhor saída para todos os problemas é morrer logo de uma vez, porque a vida é trabalho, é dificuldade, e o Paraíso só conquista quem persevera. Ou seja, a tarefa mais dificil é a que jamais é enfrentada, mas se você se esforçar pelo seu filho, com a graça de Deus, irá conseguir. No início, é normal que na criança faça birra, desobedeça, ou simplesmente não tenha noção de como se comportar, e é exatamente aí que entram os limites e a imitação. Aqui em casa, por exemplo, a coisa funcionou assim: Nathaniel, que é o mais agitado, passou boa parte de sua vidinha no colo do pai durante a Santa Missa; agora, que já é maiorzinho, sabe, por tantas vezes nos ter visto, como proceder, ao ponto de pedir para ir à Igreja. Repito: filhos não são nem podem ser um obstáculo à vivência da fé, nem na esfera pública, nem na esfera privada. Eles são os primeiros prejudicados quando a mãe enfraquece espiritualmente, assim como são os primeiros beneficiados quando ela se fortalece. Deus nos chama a si em todas as situações da nossa vida: na tranquila vida solteira, na insegura vida de recém-casada, na inexperiente vida de mãe de primeira viagem, na atribulada vida de mãe de muitos filhos. Ele nos chama porque nos ama e porque sabe que precisamos, mais do que todas as coisas, Dele mesmo.

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Sugestão de Natal (2)

A Denise Reis me pediu socorro inbox, lá no facebook, (a escola solicitou a compra de 4 livros infantis de diferentes faixas etárias para cada uma de suas 3 crianças) e eu resolvi deixar pública a lista que passei a ela, pois pode ser útil a mais alguém.
Coloquei os links do Amazon porque lá está acontecendo uma "feirinha do livro": a cada 4 livros infantis comprados, o mais barato sai de graça.

Para menina de 9 anos:
- Volume com 3 histórias da Condessa de Ségur (http://amzn.to/2hEiW7O)
- Uma casa na floresta (http://amzn.to/2h6Jmi9)
- Um jovem fazendeiro (http://amzn.to/2h6J9LI)
- Uma casa na campina (http://amzn.to/2ibKTkt)

Para menino de 6 anos:
- A última canção de Bilbo (http://amzn.to/2hR9oqx)
- Peter Rabbit (http://amzn.to/2h6LhmN)
- O mágico de Oz (http://amzn.to/2h6C6Tp)
- Peter Pan (http://amzn.to/2h6I9qT)


Para menina de 3 anos
- Clifford e os sons dos animais (http://amzn.to/2ibGqOK)
- Uma mão lava outra (http://amzn.to/2h6WqUr)
- Uma lagarta muito comilona (http://amzn.to/2hEulEH)
- Da cabeça aos pés (http://amzn.to/2hWjS5j)


Agora, quem quiser não só boas indicações de livros, mas aprender a selecioná-los, faça o meu curso "Ensine seus filhos a gostar de ler", onde explico quais são os critérios para construir uma boa biblioteca para as crianças (www.encontrandoalegria.com - Aba CURSOS), entre muitas outras coisas.

domingo, 18 de dezembro de 2016

Sugestão de Natal

Post rápido, com uma sugestão aos que ainda não conseguiram comprar todos os presentes de Natal. Links afiliados. ;)

Nesta semana, a grande notícia do mercado editorial foi o lançamento em pré-venda da nova edição do procuradíssimo O livro das virtudes.

Esgotado sabe-se lá há quanto tempo e a peso de ouro nos sebos, a Nova Fronteira finalmente caiu em si e resolveu reeditar os dois volumes em um bonito box.

Trata-se de aquisição indispensável aos homeschoolers, uma vez que é formado por uma excelente compilação de textos clássicos, cuidadosamente separados segundo as virtudes que exemplificam.

O texto é recomendado a crianças grandes, por volta dos 10 anos em diante, e também para adultos, obviamente.

Uma outra vantagem dos volumes é que, graças à sortida seleção de textos, eles nos oferecem muitas boas referências para outras pesquisas.

Enfim, uma boa pedida para o Natal. Clicando aqui você vai direto para a página da Amazon, onde o box está em promoção.

Agora é torcer para que a Nova Fronteira não pare por aí, mas reedite também O livro das virtudes para crianças, O livro dos heróis para crianças e O livro da fé para crianças.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

A casa de Penélope

É pessoal, sei que as coisas por aqui têm andando às moscas, mas isso é o contrário do que temos tido aqui em casa. As aulas continuam a todo vapor e muito provavelmente não tiraremos férias, pois ficamos muito tempo sem estudos em função do nascimento da Philomena e dos períodos de repouso e de recuperação.

No entanto, há uma razão bastante especial para as coisas estarem tão paradas: iniciamos um novo trabalho. Quem recebe nossa newsletter já está por dentro, mas como muita gente acessa o blog e não recebe a news, resolvi explicar melhor aqui também.

Nossa nova empreitada chama-se A casa de Penélope, nome escolhido com a ajuda da Chloe (que lembrou-se da exemplar Penélope da Odisséia) e da minha prima Antônia (que sugeriu que instalássemos Penélope e todas as futuras participantes em uma "casa"). A casa de Penélope é um clube de literatura temático, por assinatura, para mulheres.


A ideia surgiu tempos atrás, ao término da segunda turma do curso De volta ao lar. Percebi que, mais do que compreender a importância de nossos papéis como esposas, mães e donas de casa, precisávamos também ampliar nosso repertório imaginativo com bons exemplos femininos, para que, por meio deles, nos nutríssemos dos elementos necessários para a superação das objeções, críticas e resistências que encontramos abundamente em nossa época, tanto ao nosso redor quanto dentro de nós mesmas. Não muito tempo depois, conheci um clube do livro de mães norte-americanas que nos serviu como inspiração em termos de funcionamento, para que conseguíssemos, de fato, aqui no Brasil, levar adiante o compromisso com a leitura a sério.

Em outras palavras, desde outubro estamos às voltas com esse novo projeto e por isso o ritmo por aqui diminuiu drasticamente. Criamos um site, página no facebook, no instagram, elaboramos pesquisas, lista de livros, newsletter, guia de leitura... enfim, tudo quase pronto para dia 01 de janeiro começarmos as leituras - mas as inscrições já estão abertas; já somos algumas dezenas!

Quem quiser conhecer melhor, por favor, sinta-se em casa, ou melhor, na casa, A casa de Penélope. ;)